maestro

20.6.17

20.6.17
Perco-me na imensidão das notícias tristes que se alternam com as fotos reluzentes das personas digitais.
E nós vemos, lemos, ouvimos, informamos e partilhamos à velocidade de um feed, mais rápido do que aquilo que os nossos olhos conseguem ler.
Mas o nosso coração, esse, continua a bater ao mesmo ritmo, descompassado de todos os sons do mundo.
Maestro, precisa-se.

Sem comentários

Enviar um comentário