inspira...expira

17.10.11

17.10.11
inspiraexpira

depois de uma noite nas urgências do hospital sem comer ou dormir, com os olhos e os ouvidos colados na capacidade de respiração da minha filha, percebi mais do que nunca que este papel de mãe vai para além de qualquer força física ou mental atribuída ao ser humano. depositamos nos nossos filhos toda a nossa energia e alma e não admira por isso, que tantas vezes os pais sejam acusados de projectar neles a sua própria vida.
quando algumas amigas que ainda não são mães me perguntam como conseguimos aguentar a maratona de ter um bebé e uma criança ao mesmo tempo com tudo o que isso implica (alimentação, banhos, fraldas, birras, desarrumação, noites em branco) costumo responder que, literalmente, um filho faz parte de nós, é instintivo. como o acto de comer ou dormir, não o fazemos apenas porque sim, fazemos porque é parte da nossa natureza; e um filho é isso mesmo, é de todos os instintos o mais animal que conheço, por isso não se aprende, vive-se...

8 comentários

  1. GOD ALMIGHTYY!!!!!

    Se eu tivesse problemas de coração já tinha ido desta para melhor!!! Com este tipo de informação a chegar via Feed quase que me dá um colapso!! Ainda bem que o final é um final feliz.

    Jesus girl... do want to kill me? GGGGOOODDDDD!!!

    Ainda bem que já está tudo bem. Mesmo não estando ainda a 100% as melhoras :D :D :D.

    Beijinho para as pequenas (incluindo tu) e um abraço dos grandes para o Big MAN :D

    ResponderEliminar
  2. as melhoras rápidas para ela e bom descasnso! *

    ResponderEliminar
  3. É mesmo assim assim!

    Desejo as melhoras da pequenina.
    ***
    Emília Oliveira

    ResponderEliminar
  4. O título e as fotos do post por si só já me deixaram "presa"... estão tão bem escolhidos...
    depois li o texto.
    Mais uma vez, leio um texto teu e identifico-me completamente...
    Ser mãe é assim mesmo!
    consegues descrever vivências, sensações ou sentimentos por palavras , de uma forma tão simples.

    as melhoras para a pequena!

    Bjo!
    claudiaB

    ResponderEliminar
  5. Ui...até me arrepiei! é isso mesmo! nem mais nem menos...as melhoras rápidas e tudo de bom! beijinho* Inês

    ResponderEliminar
  6. felizmente parece que o pior já passou. o mais incrível é que mesmo sabendo que se sofre tanto, o desejo de ter mais filhos é algo que não se explica.

    :)

    ResponderEliminar
  7. por aqui com um bebé de 3 meses e uma criança de 3...é mesmo isso....

    ResponderEliminar
  8. E como te entendo... mas tantas vezes doí mais que se fossemos nós, fazemos tudo, somos tudo, como ser de uma guerreira se tratasse. mas eles não são nossos são do mundo e talvez essa incerteza é que irá doer mais ainda um dia.

    ResponderEliminar