house by the sea [2]

22.1.11

22.1.11
de volta ao nº 7 daquela ruade volta ao nº 7 daquela ruade volta ao nº 7 daquela ruade volta ao nº 7 daquela rua

hoje esteve um daqueles dias em que o final de tarde junto à praia é memorável. o frio intenso faz com que não haja gente e a paisagem fica transparente, sendo possível ver para além do que é normal nos outros dias.
resolvi então voltar ao nº 7 daquela rua...
já sabia que por lá o pôr do sol era fantástico, mas não imaginava assim tanto.
correndo o risco de isto parecer um post de especulação imobiliária, posso garantir que não haverá outro sítio como aquele em muitos Km de costa nortenha, isso é certo!
o sol trazia de volta o amarelo esbatido das paredes e o pouco vermelho que resta das madeiras gritava vitória no meio da vegetação queimada.
é uma vista memorável esta, sem dúvida, e uma casa memorável também já deve ter sido. quanto não valerá esta vista e este sol nesta rua? será por isso que está abandonada? vale mais do que alguém pode comprar...
eu não consigo deixar de pensar nas pessoas que por lá passaram, nos chapéus de palha e nos vestidos floridos, nas cadeiras de madeira e nas flores do jardim. tenho pena de não ter fotografado a casa quando a conheci, pois antes de queimarem a vegetação a sua magia era ainda maior, pois o jardim selvagem conservava várias plantas e um muro amarelo e grades vermelhas que entretanto desapareceram.
não, não foi desta que entrei...e não me parece que o vá ser de forma clandestina:)
entretanto, esta casa e esta paisagem já ganharam uma música própria:

1 comentário

  1. tinha que ser essa música, claro! :)
    também eu sonho com uma casa assim, num lugar como esse... mas às vezes parece um sonho distante demais...

    ResponderEliminar