i could live here

26.7.13

26.7.13
Ultimamente penso muito em casas (já repararam, não é?). Acho que são fases, em que parece que preciso de mudar as coisas, de controlar alguma desordem que me rodeia, apetece-me refazer, arrumar, limpar tudo. Gostava mesmo, era de poder esvaziar a minha casa toda, colocar tudo num armazém, pintar tudo de branco e depois, lentamente começar a refazer tudo do zero. Não precisava de comprar nada, talvez melhorar alguns aspectos de base, mas gostava de uma tela branca para começar a preencher.
A nossa vida diária nas casas faz com que elas se tornem muitas vezes longe daquilo que imaginamos, pela desarrumação, pelo excesso de coisas que não interessam nada, pelos materiais que muitas vezes não são os ideais, pela vida diária sempre no mesmo sítio, que nos leva a estimar menos do que os locais merecem.
Para mim a casa é muito importante. É o bem mais precioso que podemos ter, não pelo seu valor monetário, mas pela influência que tem na nossa vida. O local onde vivemos traz as boas energias todos os dias, é essencial cuidar e estimar. Mas eu não sou nenhum exemplo disso, acreditem, mas ainda assim penso isso.
Cresci com uma mãe que era perita em transformar qualquer coisa num lugar aprazível. Lembro-me de uma vez chegarmos a um sítio onde tinha chovido dentro de casa, cheirava a mofo e a casa estava um caos, mesmo. E numa semana parecia que vivíamos lá há anos. A casa cheirava a cera, os candeeiros estavam no sítio certo, os sofás tinham tecidos e esquecemos assim que as canalizações não funcionavam, o tecto estava roto e as paredes sem tinta.

Hoje estava aqui a olhar para estas fotos, da Homeless que eu admiro à distância, uma vez que nunca lá fui. Sempre achei que por mais dinheiro disponível que tivesse não faria sentido para mim contratar terceiros para tratar da decoração da minha casa. Nunca. Mas, se calhar não é bem assim. A ajuda destes senhores/as parece fazer toda a diferença, e identifico-me com cada canto destas fotos que vos mostro. Eu podia mesmo viver aqui!

(todas as fotos são de projectos da Homeless e foram retiradas do seu facebook).

5 comentários

  1. subscrevo inteiramente aquilo que escreveste, também sinto o mesmo em relação à minha casa e por coincidência também ando envolvida na redecoração de uma casinha que os meus pais já têm há mais de 30 anos, por isso estas temáticas também me suscitam muito interesse de momento.
    infelizmente não tenho muito jeito para a decoração mas gosto muito de ver casas com peças e cores improváveis que resultam muito bem e emprestam muito carácter às casas.

    Sobre a casa Maura espero que volte a encher-se de risos, conversas e pés cheios de areia :)

    ResponderEliminar
  2. Gostei tanto de ler...também sinto tantas vezes essa vontade de mexer a fundo na casa, também é tão importante para mim. Também a minha mãe aproveitava tudo o que era antigo, velho... pintava, transformava...Obrigada, gostei mesmo!

    ResponderEliminar
  3. percebo-te em cada palavra que escreves! e de que maneira! :D quanto a esta casa,bem,se algum dia me deparo "in loco" com algo assim,receio que não haja ninguém que me tire de lá..!:)

    ResponderEliminar
  4. Que lugar lindo, poderia viver por ali! Beijos

    http://www.antonellaesuaboneca.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  5. Recomendo vivamente este site argentino com "casas reais de pessoas reais". Acho que vais gostar:

    http://www.casachaucha.com.ar/

    ResponderEliminar