diz que é uma espécie de greve...

24.11.11

24.11.11
greve geral
 
ufa! ainda bem que o pessoal das centrais sindicais está numa de poupança nas tintas e pincéis e que, por isso, resolveram marcar a greve para o mesmo dia do ano passado. é que assim as palavras de ordem podem ser reutilizadas. boa! e a minha foto, tirada o ano passado serve perfeitamente para este post.

estava com esperança que os trabalhadores aqui da fábrica caseira fizessem greve hoje. ia aproveitar para dormir e para por ordem no caos que se acumula à minha volta.
mas não foi bem assim... lá pelas 4.00 da manhã a mais pequena resolveu comunicar-me que hoje ia estar especialmente irritada e que, por isso teria de protestar. é um direito, o que posso fazer. ouvi as suas reivindicações até às 4.45. depois há que interromper o seu protesto silencioso, lá pelas 6.00 para mamar, porque com a barriga vazia não se consegue pensar bem. lá pelas 7.30 resolveu retomar a versão silenciosa e voltou para a cama...vá lá!
pelas 7.45 a irmã, que protestava ruidosamente no quarto ao lado, achou por bem dar nome à sua luta e chamou...a mãe! a mãe, lá foi fazer as tarefas que lhe cabem, se bem que sempre com o protesto em mente, que isto de trabalhar durante a noite e ainda acordar cedo vai contra as leis do trabalho.
8.45 vamos para a escola...funciona normalmente!
pronto, agora sim, vou protestar!
ia protestar, mas um dente gigante está literalmente a saltar-me fora da cara e depois de semanas sem conseguir comer bem, agora estava prestes a deixar de falar. corro para o dentista. por lá, tudo normal...saio passado 10 minutos, sem falar, sem dente e sem protestar!
volto à fábrica caseira, os outros trabalhadores estão de greve, por isso, todo o trabalho continua por fazer. estou a pensar interromper o meu protesto para tratar de alguns assuntos urgentes, como o balde de fraldas com cócó, que não se conseguiu despejar sozinho no contentor.
afinal a trabalhadora mais nova resolveu protestar contra a sua superior hierárquica, diga-se a mãe, e chora alegremente durante horas, com ligeiros intervalos em que se passeia no colo de um lado para o outro.
mas quando isto acabar, juro que vou processar o chefe aqui da fábrica, porque tenho as costas todas partidas e ninguém me deu material de protecção para evitar danos para o resto da vida.
ok, vou protestar... agora não, que é hora do almoço e tenho de dar de comer à miúda, senão o protesto dela torna-se de tal forma ruidoso que acabo por lhe dar direitos que ela nunca imaginou conseguir ter. pronto, já comeu, está de barriga cheia e todos sabem que se fica pesado e é preciso descansar um pouco. queria fazer greve às músicas de embalar que repito mecanicamente, mas não deu. os direitos dela eram demasiado ruidosos.
já está...dorme...
acho que finalmente vou protestar!
acordou...

5 comentários

  1. Fantástico! Adorei.

    Não o facto de não teres mãos a medir, mas o texto, que representa a realidade a 100% está mais do que adequado ao dia de hoje.

    Parabéns pela veia inspiradora!

    Keep up... e que a troika não afecte a tua nova loja no natal :D

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. :) estava com vontade de me ir irritar com a greve mas de tanto rir perdi a vontade!

    ResponderEliminar
  3. E pronto foi mais um dia, que amanhã há mais! Apesar de não haver greve!!!! Bjos

    ResponderEliminar
  4. LOL Que giro, muito bem descrito!

    ResponderEliminar
  5. Tá muito giro. É que é mesmo assim!!!
    Dora

    ResponderEliminar