blogs e publicidade

6.2.13

6.2.13

Ultimamente tenho recebido várias propostas para colocar links remunerados nos meus posts.
E agora vocês perguntam: mas o que é isso?
É isso mesmo, receber dinheiro para fazer um post com um link para um determinado produto/serviço/empresa. Agora que vocês já sabem o que é, quando virem 2 ou 3 blogs a fazerem um post sobre o mesmo tema...voilá!
Eu não tenho nada, absolutamente nada contra a publicidade nos blogs. É uma opção de quem escreve o blog e o seu público saberá avaliar se lhe apetece ou não ver a publicidade.
Já não tenho paciência para publicidade escondida, disfarçada de coisa natural, assim por acaso. Isso não, se é, então que seja clara. O ideal para mim são os banners publicitários nas colunas dos blogs que são de alguma forma seleccionados pelo blogger. Geralmente, as lojas e produtos que lá estão acabam por ser interessantes para os leitores que se identificam com o estilo do blogger.
(atenção, a lista de lojas online que está aqui do lado direito é mera divulgação minha, porque me apetece, não recebo nada, nadinha por a ter, mas se alguém me quiser enviar produtos dessas lojas está à vontade:D:D)

Depois do escândalo da Samsung, com os vídeos dos bloggers, é ver todas as semanas num jornal qualquer, artigos sobre bloggers de moda e o quanto ganham com os seus blogs. Quem lê fica a pensar que este é um mercado milionário! E se calhar até é, eu não sei.
Este assunto é mais do que velho, lá no outro continente em que já há pessoas a viver de blogs há muito tempo. Não deixa no entanto de ser alvo de duras críticas, como o que aconteceu aqui no bleubird. A partir daí a Miss James passou a colocar no nome do post 'sponsored post' e todos sabemos, mesmo antes de ler, que aquele post é patrocinado. Eu vejo-os todos, e gosto de ver as selecções dela e as parcerias com marcas que eu nem sequer conheço. Não me incomoda nada, mas a muitas pessoas pelos vistos sim.

Não gosto de ver um blog que é feito de posts sobre produtos ou sobre marcas, com letras a gritar 'compra', mas gosto de ver o que escolhem e apreciam pessoas cujo blog eu admiro.
Nunca pensei muito sobre isso no meu blog pessoal, mas a fazê-lo, gostaria que fosse com pessoas/marcas/lojas que eu gosto e com produtos seleccionados por mim, para haver uma relação entre as duas coisas, ou então este blog deixaria de ser meu. Claro que eu uso este blog para divulgar as coisas que eu faço, os meus projectos, e isso é também uma forma de publicidade, mas é algo meu, e por isso sinto-me perfeitamente à vontade para o fazer. Nem penso muito nisso.

Sobre os links, apesar de apelativos os montantes, não são para mim! Não imagino como é que eu, de repente chego aqui e começo a falar de camas, ou de carros ou de outra coisa qualquer que não tem qualquer ligação com o que eu estou a pensar no momento.
Tenho pena, o dinheiro dava-me bem jeito, mas não dá.
E vocês o que pensam sobre isso, também têm recebido propostas deste tipo?

14 comentários

  1. já me chegou algo que nem percebi, era um link encapotado enfiado no texto e resolvi não querer saber mais, por achar demasiado exótico.

    Não tenho nada contra e ganha quem pode, lê quem quer. Já deixei de ler alguém porque a natureza do discurso mudou radicalmente e o q era perspicaz e interessante, pertinente e irónico (saudável, portanto), passou a comercial e fútil... primeiro senti-me traída, mas logo me passou e deixei de visitar e de ler. Tive pena, pq fazia mais falta a primeira que a segunda, mas é assim q o mundo se mexe.

    Concordo plenamente contigo Sílvia, qd o produto tem lógica, encaixa e flui, funciona para todos os lados - eu q gosto de te ler, certamente vou achar interessantes as tuas escolhas e quem te escolhe como casa, ter-me-à a mim como cliente. Ganhar dinheiro é importante e é bom, digo eu. Mas quando se tem espinha, interesse e consistência, é infinitamente melhor!

    :)
    **S

    ResponderEliminar
  2. Acho tudo bem desde que feito com honestidade e afinidade.

    Os blogs têm exposição e essa exposição pode e deve ser rentabilizada. Os blogs dão trabalho e o trabalho deve ser remunerado. De uma forma ou de outra. Mesmo os blogs que são não recebem dinheiro direto de publicidade trazem grandes benificios a quem os faz caso tenham grande audiências. Direta ou indiretamente um blog gera "dinheiro".

    Concordo com os "sponsored post" indicados logo no título. É uma forma honesta de apresentar. O blog é um espaço pessoal e cada pessoa faz o que quer no seu blog. Tal como as ações da vida tem prós e contras. Não soluções milagrosas de ter o melhor de todos os mundos.

    Não vou deixar de ver o teu blog por começares a receber por "sponsored post" da mesma forma que não deixei de o ver quando nele havia links ou posts para os teus trabalhos.

    Segue o teu instinto.

    ResponderEliminar
  3. Se é um produto/marca que gosto e uso pessoalmente e que tem que ver com a tema do meu blog não tinha problema nenhum de fazer. Mas não vou falar do carros no blog da comida, nem do queijo da vaca se os meus leitores sabem que tenho intolerância ao leite da vaca.. tudo tem que fazer sentido.

    ResponderEliminar
  4. já me chegaram propostas muito estapafurdias...quem propoe as publicidades, devia pelo menos conhecer o blog, o blogger e o publico q o lê.

    ResponderEliminar
  5. A sério, tens propostas com montantes apelativos? A mim nunca me fizeram propostas dessas. O máximo que fizeram foi oferecer o produto (massa da Milaneza, para ser mais específica) e deixar ao meu critério falar disso ou não.
    Entretanto, e porque também tenho pensado muito nisso, decidi experimentar os banners e a ideia agrada-me porque eu é que decido o que publico,mas ganho muito pouco, ou nada com isso. No meu caso ganho uma percentagem mínima (mesmo mínima) da venda de um produto que tenha resultado de um clique do meu blog. E essa percentagem nem é em dinheiro, é em descontos nas marcas/lojas a que aderi.
    Ou seja, nada contra publicidade, desde que devidamente identificada como tal (mas isto acho que é defeito de profissão).

    ResponderEliminar
  6. É quando leio estas coisas que caio na realidade e percebo como a minha ingenuidade é grande. Claro que nunca ninguém me propôs nada (nem me parece que algum dia venha a ter visitas que o justifiquem, nem é essa a ideia) mas devo ser muito tonta quando, volta e meia elogio alguma coisa de que de facto gosto e coloco um link. E já o fiz várias vezes! Talvez por isso, quando vejo o mesmo noutros blogues, não me ocorre sequer a ideia de haver dinheiro envolvido. Sou verdinha? Viver e aprender!

    Já agora, aproveito para dizer que sou uma leitora silenciosa por aqui, mas ávida e assídua. :)

    ResponderEliminar
  7. Também já recebi algumas propostas, não pagas mas a troco de um presente. Nunca aceitei.

    Mas um dia, se achar que o produto é mesmo bom, acho que vou seguir a tua ideia do Sponsored Post. Assim fico de consciência tranquila.

    ResponderEliminar
  8. Nunca recebi uma dessas proposta, não tenho um blog mediático, nem carismático apenas um que relata a nossa vida, os nossos gostos, os nossos passeios, as nossas façanhas artesanais e culinárias ;)
    Por isso, nada de aliciante a uma grande comunidade, mas sim pequena e que geralmente nos conhece!!!
    Já tinha ouvido falar desta nova forma de vida, foi até tema de conversa num jantar entre amigos, cá em casa, a propósito de gente que se dedica a legendar filmes e daí veio a conversa sobre as realidades virtuais, de como muitos fazem disto vida.
    Cada um sabe de si, eu não acho graça a blogs repletos de piscas e luzinhas, por isso escolho-os. Gosto deles "limpos", bonitos, agradáveis, que me façam sorrir e ficar a conhecer qualquer coisa nova. É uma das razões pela qual aqui venho com regularidade e continuarei :)
    Gosto de {entreter} algum dos meus minutos por aqui. *_*

    ResponderEliminar
  9. Nunca tive nenhuma proposta. Confesso que gostava imenso de ter tido. Porque embora este blog seja meu e me saia das entranhas, dá-me trabalho a somar ao meu trabalho a tempo inteiro e eu preciso mesmo de dinheiro. Se me chegasse uma proposta sobre uma coisa de que eu não gostasse, ou com a qual não me identificasse, teria de pensar muito, muito bem. Possivelmente diria que não... Ou então usava a tag da Bluebird Vintage "sponsored post"...

    ResponderEliminar
  10. Eu recebi recentemente uma proposta à qual ainda não respondi, porque dizer não de uma forma diplomática é complicado. Mas a verdade é que aquela proposta especificamente, o "produto" não me diz nada e se calhar ainda estava a aconselhar pessoas a adquirir produtos/serviços cuja qualidade e garantia desconheço em absoluto! Nem pensar!

    Claro que não fecho a porta, mas sinto a responsabilidade e só conseguiria recomendar coisas que eu própria apreciei e comprovei...

    ResponderEliminar
  11. Tu és mesmo famosa, caraças. Nunca recebi propostas dessas, nem nunca me ocorreu que pudesse ter.
    Agora vou ficar com pena de mimi própria, porque nenhuam marca gosta de mim, não sou publicitável, snif!
    Agora a sério, eu acho que indicar que se trata de um post patrocinado é um bom princípio, é honesto. Começar o post a dizer "por acaso passei naquela loja e vi esta pomada de puxar brilho às pratas e era mesmo o que eu estava a precisar" não é sério e fazer dos leitores estúpidos. Viver do blog é como viver de outra coisa qualquer, parece-me normal.

    ResponderEliminar
  12. Sílvia, acho que a publicidade não interfere se não for em excesso e se ficar arrumada na barra lateral. Mas só faz sentido se forem marcas que tenham haver com o teu discurso, sobre aquilo que escreves e gostas. Há quem faça isso bem e há quem o faça demasiado mal.

    Se me patrocinassem os materiais com que trabalho, pensaria duas vezes se colocaria banners dessas marcas, eventualmente poderia fazer sentido no conteúdo do blogue quando mostro materiais. Mas outro tipo de produtos não estou a ver.

    Sou sincera, depois de muitos posts em que é injetada publicidade eu desisto, o conteúdo tornar-se enfadonho. O que poderá acontecer é que os bloggers que optem por isso podem perder leitores, mas claramente ganharão outros.

    Espreitei em certas ocasiões esses blogues de moda de que falas para perceber o conteúdo e são consigo acompanhar, e é como dizes, num dia em que os espreitei, muitos falavam do mesmo assunto, e parecem perdem a identidade do próprio blogger, mas cada um sabe de sim. Agora dizerem-me que toda a gente os vê e gostam e as marcas andam atrás deles por isso, pergunto então, quem é “toda a gente”? Será que interessa ter “toda a gente” a seguir o nosso blogue também, valerá a pena introduzir tanta publicidade num post e ficar igual aos outros? Será mesmo um mercado milionário ou é apenas demasiado barulho à volta dos bloggers que os fazem parecer importantes ou indispensáveis à blogosfera portuguesa?

    Uma ocasião fui contactada, para divulgar os direitos das crianças através de uma marca de leite, porque acharam — como tenho um blogue com posts sobre a minha filha — que encaixava muito bem, porque iriam dar leite nesse dia nas escolas (na da minha não deram). Não o fiz e expliquei que apenas falo do que me apetece ou tenha ligação com o conteúdo, e quem decido o que escrevo sou eu. Também não o fiz porque a lista dos direitos das crianças estava demasiado superficial, é claro que o objetivo seria divulgar a marca, com um pdf de uma lista dos direitos resumidos e para finalizar “bebe leite tal”.
    Se tivesse sido uma organização neutra a fazerem-me esse pedido com a intenção de divulgar verdadeiramente os direitos das crianças talvez tivesse aceite. Mas assim não gosto. E lá está, eu que não bebo leite há 20 anos porque não posso com o cheiro como é que vou falar bem de um leite? Seria uma contradição.

    Mas os blogues têm um poder inacreditável, já reclamei por escrito para algumas marcas e das vezes que enviei a assinatura com o link do meu blogue o tom do lado de lá muda. Já sabem à partida que é uma pessoa que pode influenciar outras, no bom ou no mau sentido, mesmo que sejam poucos os que leiam, a notícia vai-se espalhando.

    Mais do que nunca as marcas precisam dos pequenos nichos de público também. Nós também podemos precisar do que essas marcas nos oferecem e poderá haver uma parceria, mas uma marca não deverá sobrepor-se a um blogger.

    Isto mais parece um post do que um comentário…

    ResponderEliminar
  13. Não recebo, nem costumo receber e confesso-te uma coisa, nesta altura da minha vida, muito jeito daria.
    Mas nunca, até ao dia de hoje, me rendi a nada que não fosse do meu gosto e que ache que tenha a ver com o blogue.
    Acho que a melhor maneira é por mesmo uma nota no post, a avisar.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  14. Pensar tem um valor impagável, ser livre no que se pensa, como se pensa e em que momento se pensa. Mas quando te pagam para pensares no que os outros querem, quando querem e ao jeito deles... será que estamos a falar em pensar!???? E livremente? Don't fuck my mind...

    ResponderEliminar