shopping @ etsy

14.11.13

14.11.13
shopping@etsy. Hoje no blog www.silviasilva.comshopping@etsy. Hoje no blog www.silviasilva.comshopping@etsy. Hoje no blog www.silviasilva.comShopping@etsy. Hoje no blog www.silviasilva.com
Quem me conhece, sabe que sou detentora de uma boa colecção de roupa antiga (anos 60/70), com algum destaque para os casacos. Alguns da minha mãe, outros que fui comprando ao longo dos anos.
O primeiro comprei-o ainda na adolescência, no Porto, e a minha atenção para lojas de coisas velhas ou roupa em segunda mão, sempre foi grande e nunca mais parou.

Hoje em dia, já não compro muito em lojas, porque acho que o 'vintage' está demasiado inflacionado e porque a década de 80 já está em força nessas lojas e para mim, é uma época que em termos de cortes e materiais me interessa muito pouco. As compras online passaram a ser prática corrente e tenho encontrado verdadeiras pérolas por esse mundo fora.
Já recebi alguns contactos de pessoas que me perguntam quais a lojas onde compro, como faço para ter a certeza que fica bem, se não tenho receio, etc, etc. Nesse sentido, resolvi fazer um post com algumas das minhas sugestões para quem quer comprar roupa (ou outras peças) online.

1. Compro essencialmente no etsy. Também já comprei no e-bay, mas sinto que o etsy tem uma melhor oferta e por isso prefiro pesquisar por lá.
2. Não tenho lojas preferidas. Conheço algumas, mas não compro pela loja, mas sim pela peça.
3. O mais importante para encontrar boas peças, é fazer boas pesquisas, perceber quais os nomes ou expressões que se usam em inglês para determinadas peças. Por exemplo, sabiam que as cortinas pequenas se chamam 'coffee curtains'?
4. Há que ter alguma paciência. Pesquisar por prazer, não estar stressada porque se quer encontrar algo.
5. Verificar o vendedor: sinais como a qualidade das fotos, o nº de vendas, as críticas são essenciais para mim. Quando vejo uma peça numa loja etsy que eu percebo que o vendedor é profissional, ou seja, muitos deles têm loja, sinto-me mais segura do que a comprar a um vendedor pessoal que tirou a foto no jardim, desfocada e com a peça toda engelhada.
6. Contacto o vendedor e digo que estou interessada e faço várias perguntas sobre as peças, incluindo sobre a existência de defeitos e sinais do tempo, sobre custos de envio, etc. Muitos deles chegam a reservar enquanto eu me decido e até me fazem descontos:)
7. As medidas: comparar sempre com uma peça do nosso armário que seja semelhante. Até hoje todas as roupas que comprei me serviram. Todas.
8. Há coisas que pura e simplesmente nunca compraria: sapatos, camisolas ou t-shirts, calças, vestidos demasiado estruturados.
9. Nunca invisto demasiado dinheiro numa peça. Por vezes vejo casacos de que gosto muito, mas que nem considero pelo preço. Tento sempre encontrar uma peça que me pareça de boa qualidade e cujo preço eu considere razoável para mim.
10. Não vale a pena pensar em devoluções.
11. Geralmente compro a vendedores dos EUA ou países nórdicos, costumam ter as melhores peças.
12. Segurança e à vontade: já não fico nervosa se as peças chegam ou não, têm chegado sempre. Isto são roupas e peças em segunda mão, têm sinais do tempo, e eu sei que não me incomodo que o meu casaco de pele tenha umas marcas no ombro, nem penso nisso.
13. Há coisas que não se encontram em mais lado nenhum, como por exemplo o casaco de pele cor de rosa que vêm na foto de cima. Um achado! Mesmo.
14. Para mim isto não são apenas compras, são uma colecção. Não compro apenas porque acho que me vai ficar bem, mas porque aprecio a peça em si, o material, os padrões, os cortes, etc.
15. Já me aconteceram coisas que não esperava, como por exemplo, a pele do casaco amarelo que está na foto, é super fina e sensível e qualquer pinga de água fica manchado. Uso-o menos, como é óbvio, mas continuo a gostar dele.
16. Nas peças de roupa de tecido, como vestidos ou saias, quando os recebo, lavo sempre muito bem e faço um reforço das costuras que geralmente pela idade já estão frágeis.
17. Não é o mesmo que ir a uma loja  e escolher algo, experimentar, tocar, claro que não, mas é um mercado muito mais vasto do que qualquer loja nos pode oferecer e é um acesso a peças muitas delas únicas.
18. Adrenalina.

E pronto, é isto, se tiverem alguma questão e quiserem deixar aí na caixa de comentários terei todo o gosto em responder.


4 comentários

  1. Nunca tinha usado a Etsy para coisas em segunda mão, só para artesanato e joias, já percebi que tenho de estar com mais atenção!

    ResponderEliminar
  2. Nunca fiz compras na Etsy, mas agradeço os conselhos e as dicas que nos deixas. Adoro roupa em 2ª mão, mas concordo contigo que os preços deixaram de ser apelativos.

    ResponderEliminar
  3. Eu sou suspeita porque tenho uma loja no etsy, mas perco-me por lá.
    Tenho a impressão que compro mais do que vendo :)

    ResponderEliminar
  4. Gosto muito do etsy! Realmente uma pessoa perde-se e até evito a loja às vezes para não entrar em tentação! Mas fazem-se grandes compras. Por exemplo, este ano voltaram a usar-se as chamadas "bucket bags" e lá fui eu ao etsy comprar uma vintage em cabedal... ficou-me mais barata que o modelo equivalente da Zara em sintético!

    ResponderEliminar