inspiração para a Maura

9.7.14

9.7.14
(todas as fotos via Kid & Coe)

Este ano os nossos dias na Maura foram poucos e muito atribulados, por isso os meus objectivos de recuperação são pontuais e dirigidos para detalhes e essencialmente arrumação de roupas e louça.
Isso e ir procurar um tal senhor na Serra de Monchique que pelos vistos sabe como empalhar cadeiras, onde pode ser que finalmente consiga consertar alguns assentos rotos, será?

São casas como esta que me fazem acreditar que a recuperação do que existe vale a pena. Claro que aqui toda a casa foi intervencionada, nota-se bem no bom estado de tudo, mas mantiveram as características originais da casa. E eu quero isso.

Mas tem sido difícil: sempre que peço orçamentos para arranjar o chão de madeira ouço 'mais vale arrancar tudo e meter flutuante'....flutuante? A sério? Não.
Estes armários não têm remédio, vai ali ao Leroy e compra uns standard e mete aqui. Ok, prefiro ficar sem armários então, um varão chega.
Estas casas de banho é arrancar tudo e fazer de novo.
São comentários destes que ouço das pessoas que trabalham com casas e obras e coisas do género. Já desisti. Vou arranjando devagar e as coisas vão tomando forma. Não tenho dinheiro nem vontade de transformar uma casa dos anos 60 num apartamento de construtor manhoso.

Da próxima vez vou mostrar esta aos senhores que me dizem para arrancar tudo, mas provavelmente ainda vou ouvir: 'mas quem é que quer ir para aí, é tudo antiquado! onde está a televisão?'

Gostos não se discutem!

7 comentários

  1. Adorei tudo. Ai, ai, no Algarve tudo parece mais fácil, até decorar... Olha se pusessemos essas almofadas cá fora neste noroeste chuvoso e ventoso!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sabes Dora, por incrível que pareça é muito mais fácil para mim fazer algo na minha casa do Algarve, do que aqui. Não sei, acho que é a luz e os materiais de base (tectos, chão, paredes caiadas, etc) que fazem toda a diferença, e qualquer 'trapo' fica lá bem:D

      Eliminar
  2. esta gente das obras não percebe nada ( que não me ouça o senhor cá de casa)... não te deixes levar... quem gostava de passar uns dias numa casa assim antiquada? olha nós!!! tivesse eu mais dias de férias no verão!

    ResponderEliminar
  3. Acho que não é uma questão de gosto, e sim de sensibilidade e de esclarecimento. Passo isso no meu dia a dia nas obras. Mas quem trabalha comigo já sabe que só não fica o que for de todo impossível de recuperar. O pior de tudo é ir mostrar as casas a potenciais arrendatários. Ouvimos com cada uma que só apetece bater! esse pátio amarelo é qualquer coisa! bj

    ResponderEliminar
  4. "Estes armários não têm remédio..." não é bem assim... só que é um processo lento e para quem gosta... parece-me que ainda vamos ver a mobília, desta casa, toda recuperada! Parabéns pelo bom gosto e persistência!

    ResponderEliminar
  5. Que maravilha de inspiração.
    Ignora os conselhos dos "entendidos" e segue o coração (e a inspiração)
    Bom trabalho

    ResponderEliminar
  6. pois, eu adoro tudo! força nisso! :)

    ResponderEliminar