A emoção das velharias

1.11.15

1.11.15
Uma foto publicada por Sílvia Silva (@asilviasilva) a

Sinto uma verdadeira emoção quando vasculho entre objectos numa qualquer banca de velharias e encontro algo que gosto. Mais do que uma roupa espectacular, ou qualquer compra que possa fazer para mim.
Não sei se é pela sensação de oportunidade, a ideia de uma peça única que jamais se vai repetir e por um preço simbólico. Ou será talvez a nostalgia de salvar algo do esquecimento eterno e lhe dar uma nova vida.
Tenho preferência pelas bancas que dispõem os objectos no chão, em que tudo está caótico e amontoado e que, à partida, não se dá nada por aquilo. É lá que aparecem as melhores peças, por um/dois euros.
Sei que, à partida, quando um vendedor se dirige a mim e me diz logo, sem hesitar, isso é sacavém menina, já não vou comprar. A peça estará, à partida sobrevalorizada, e só compro se for mesmo muito bonita, nunca pela marca.
Por isso adorei a feira de velharias de Lagoa, que visitei este Verão com a minha irmã, e onde, de facto, as velharias são velharias e há de tudo e coisas incríveis a preços de feira, como deve ser.

Uma foto publicada por Sílvia Silva (@asilviasilva) a

Depois ainda nutro uma enorme curiosidade sobre as pessoas que estão a vender. Profissionais que se dedicam a revirar casas vazias? Pessoas que vendem o seu próprio espólio? Sucateiros?
Gosto de os observar a todos e pensar como será que encontraram aquela peça em particular que tanto admiro.

Uma foto publicada por Sílvia Silva (@asilviasilva) a


As cadeiras dos vendedores das feiras de velharias continuam a ser um mistério para mim.
Cada uma mais bonita do que a outra.
São tronos do estilo sem preço.

8 comentários

  1. Como compreendo este fascínio! As velharias são algo que, ou se detesta, ou se adora. Não há meio-termo. Eu adoro também :)

    ResponderEliminar
  2. Compreendo bem porque só me ocorre a emoção de quando encontro um "tesouro" que ninguém quer, no antigo sótão ou na arrecadação que era dos avós! Ainda por cima, essa é uma "feira" em que nem se paga e onde frequentemente ouço: "mas para que é que queres levar essa tralha para casa?". É tralha linda de aquecer o coração!

    ResponderEliminar
  3. Adorei esta publicação. Também gosto muito de velharias, mas nunca tive o prazer de ir a uma feira dessas. Beijinho ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como não Sandra? Há feitas de velharias por todo o país, tens apenas de te informar em que dia se faz aí perto de onde vives:)

      Eliminar
  4. Visitar feiras de velharias é entrar no túnel do tempo! um passeio que não tem preço! bjs!

    ResponderEliminar
  5. também adoro e não resisto. levar as crianças é muito giro, uma lição de história e cultura :)

    ResponderEliminar
  6. Sou suspeita, sempre gostei de objectos com história.
    Essas cadeiras.. bom, cheguei a sentar-me nelas. Cadeiras de "praia" ou "piquenique"...

    Mas hoje em dia esse é um negócio. E quase toda a gente tenta lucrar - e muito, à pala do que apelidam de "antiguidade". Por vezes são só coisas velhas. E sem valor. Mas só porque é de outra geração e provavelmente já não se fabrica, acham que é um tesouro.

    isso me revolta, porque vejos cada vez mais pessoa a cobrarem valores estúpidos por coisas que são apenas velhas, estragadas e até imprestáveis. Num tarda estão a vender lâmpadas de hologénio porque são "vintage"!!!

    Irra. Antiguidade e Vintage - tudo o que tem essa palavra, está sobrevalorizado.

    ResponderEliminar
  7. También adoro encontrar ese tipo de tesoros...voy a pasar unos días en Porto, en Febrero, me puedes recomendar algún mercadillo interesante??

    ResponderEliminar