coisas bonitas [e uma lição] na minha caixa do correio

25.9.13

25.9.13
coisas bonitas na minha caixa de correio No outro dia recebi um e-mail da Hazel. Não a conhecia, ela era leitora do meu blog, mas nunca tinha deixado comentários ou entrado em contacto comigo. Disse-me que me queria dar os panos de crochet da avó dela. Que andava a reorganizar as suas coisas e queria dar ou vender tudo aquilo que não lhe fizesse falta. E escolheu-me a mim, para oferecer os panos de crochet feitos pela sua avó e que ela usava para brincar com as suas bonecas quando era criança, porque achou que eu seria a pessoa ideal para tomar conta deles e lhes dar um bom uso.
Ora, eu que sou tão agarrada às 'minhas coisas' fiquei um pouco incrédula, confesso, não percebendo como é que alguém era capaz de me dar uns objectos que para mim seriam tão valiosos.
Os panos chegaram, são 3 e são lindos. E eu ainda estou aqui de boca aberta e a pensar.

E se fossemos todos assim? Se cada um de nós conseguisse dar aos outros aquilo que não precisa e que os outros podem valorizar? Não estou a falar de caridade, estou a falar de partilha. Sim, isso mesmo, partilhar. Eu tenho um casaco que nunca uso, mas que fica no armário para 'um dia', porque não o dou à amiga a quem eu tenho a certeza que ficaria bem? Partilhar conhecimento, coisas, sentimentos, são coisas tão importantes.
Hoje a Hazel não me deu só 3 panos de crochet, fez-me olhar aqui para a minha 'bolha' e perceber que tenho coisas a mais e que devia fazer como ela. Do que tenho por aqui, o que posso dar para que outros possam usar, para caridade, para reciclar, fazer as coisas moverem-se e ganharem novas vidas e propósitos.

Os panos da avó da Hazel não podiam ter ficado em melhores mãos, isso eu posso lhe garantir, porque vou tratar deles e usá-los com muito carinho e com a memória de um momento que para mim é marcante e que me fará olhar para os objectos com outros olhos, outras forma de ver e de ter.

Obrigada Hazel!

10 comentários

  1. mas qnd oferecemos, não oferecemos aquilo que temos de melhor? oferecer uma coisa nossa que sabemos que vai ser de utilidade ou de muito valor ao outro é das coisas mais gratificantes :)

    ResponderEliminar
  2. Tenho tido muita sorte. Tenho leitores generosos que me oferecem os livros que não querem, ou para os quais não têm espaço. Foi assim que conheci por exemplo a Marta (http://vidanocampo.wordpress.com/), que lia o blogue e um dia me perguntou se queria ir a casa da avó dela buscar umas caixas de livros. Ficámos amigas! :)

    ResponderEliminar
  3. Concordo plenamente. É necessário cada vez, partilharmos uns com os outros, sem vermos isso, como caridade. Despirmo-nos de estatutos e vestirmo-nos cada vez mais com sentimentos.

    Ligia :)

    ResponderEliminar
  4. Minha querida, muito obrigada pelo carinho com que os recebeste e pela brilhante reflexão que fizeste. É que é mesmo isso, manter os objectos a circular, dar-lhes uma nova vida cumprindo uma nova missão com outra pessoa. E se um dia te fartares deles, se sentires que já não fazem mais sentido em tua casa, não te prendas a eles - atribui-lhes uma diferente missão, uma nova história.

    :)

    Muitos beijinhos e que eles te tragam muita magia!

    ResponderEliminar
  5. São lindos sim senhora! Parabéns a ambas, uma pela capacidade de dar e outra pelo carinho com que recebe :)

    ResponderEliminar
  6. E que bonito! Eu dou muitas vezes. Coisas que me são queridas, outras menos. Acho que o importante é o que fazemos, não o que temos. É como quando fazemos algo com as nossas mãos e o vendemos: o importante é trazer ao mundo algo bonito, é impossível ficar com tudo. Mas os crochets da minha avó ficam comigo :)

    ResponderEliminar
  7. Parabéns Hazel pelos panos que são lindos e pelo gesto, verdadeiramente inspirador. E parabéns Sílvia pelo bom uso que certamente lhes vais dar ;)

    ResponderEliminar
  8. Carlota Vicente2:46 da tarde

    Surpreendente!!!
    A mim tambem me deixou seriamente a reflectir ...inspirador!!

    ResponderEliminar