dia do blog [?]

31.8.14

31.8.14
fly away Hoje li o artigo do Observador 'Blogues, antes e depois da fama, o poder da marca' e no final ficaram destacadas algumas expressões que se repetem ao longo do texto: famosos, moda, fama, tendências, consumos, visitas, fãs, números, celebridade, negócio, marcas, público, dinheiro.

Ora, eu respeito todas as opiniões e visões sobre a blogosfera de especialistas e pessoas com muitas visitas, mas um blog, originalmente não é a associação destas expressões e se vamos falar deles, então vamos falar de todos e da sua essência.

Um blog é uma plataforma online, para gerir e divulgar conteúdos, em imagem ou texto, na internet.
Estas plataformas são na sua maioria gratuitas e simples de utilizar tornando-se por isso acessíveis a um vasto público com acesso à internet. O que parece uma ideia simples, torna-se numa ferramenta super poderosa, porque dá voz e existência virtual às pessoas de todas as origens, géneros, profissões, opiniões, países e especialidades.

Esta existência virtual permite criar e divulgar conteúdos que os media nunca poderiam produzir, exactamente porque não têm o objectivo nem da informação, nem da criação e gestão de públicos. Apenas a partilha de um ponto de vista pessoal, de uma pessoa (ou pequeno grupo) que querem partilhar com outros aquilo que pensam, gostam e fazem.

Há blogs que são plataformas comerciais, claro que sim, nada contra, a versatilidade da ferramenta serve para isso mesmo, para fazermos deles aquilo que nos convier. Há blogs de empresas, marcas, bandas, etc que existem como forma de divulgação e comercialização. Mas não acredito que os blogs estejam reduzidos a produzir conteúdos para venda ou para consumo, procurando acima de tudo as estatísticas e atingir o maior número de pessoas possível.

Os blogs existem também para comunicar, para partilhar e para procurar identificação com um conjunto de pessoas que partilham algo connosco. São uma ferramenta universal e a sua existência não depende do número de amigos, fãs, nem de targets, likes ou campanhas, nem do poder económico individual, dependem única e exclusivamente da vontade e capacidade de uma pessoa em gerar conteúdo.
Por isso são tão livres e universais, sem amarras ou definições, porque podem ser efectivamente o que nós fizermos deles!

*não sabia que existia tal coisa como 'dia do blog'


6 comentários

  1. Sílvia Silva a Presidente! :)

    ResponderEliminar
  2. Nem mais! Há uns tempos comecei a seguir uns daqueles que são o top daquilo que são as tendências de moda. São estes blogues que se podem enquadrar naquilo que descreves no primeiro parágrafo deste post. Ao fim de uma semana estava farta daquilo! Prefiro sem dúvida os que não têm compromissos com nada a não ser com as ideias e a criatividade de quem os produz!

    ResponderEliminar
  3. Concordo plenamente com tua opinião.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Apesar de por vezes me questionar acerca da razão de ser do meu blogue e nem sempre conseguir de mim mesma uma resposta muito clara, incluo o meu nos do último parágrafo e concordo com a Maria quando diz que não tem pachorra para seguir os bloguers "profissionais". Como não me identifico com eles, raramente os visito, mas a vantagem disto é que há espaço e acesso para todos.

    ResponderEliminar
  5. Nem mais! Concordo absolutamente com isso!!!! *

    ResponderEliminar