escravos do e-mail

13.10.14

13.10.14
Síndrome dos desorganizados, 18 tarefas urgentes para implementar e um cérebro que se ocupa em arranjar pontos de fuga desviando-me do 'caminho'.  #chateadacomigo #looklikeshitdays O gmail é o meu melhor amigo.
Fala comigo, traz-me novos amigos, oferece-me notícias, dá-me trabalho, substitui a minha memória, permite-me fazer chamadas ao vivo e a cores sem pagar um tostão e diz-me todos os dias o quão a minha vida está mais ou menos organizada pelo número de mails que tenho por ler.
Os mails que eu tenho por ler já não são spam, nem publicidade, nem comentários de redes sociais, nem nenhuma dessas coisas que já nem lemos, não, esses já são automaticamente geridos pelo meu melhor amigo.
Os que estão ali a dizer 'Sílvia estás lixada' todos os dias representam todas as coisas nas quais estou a falhar. Trabalho que não agarrei, perguntas que não respondi, propostas que não fiz, reclamações, questões, opiniões e dúvidas sem fim.
Há quem fique mesmo muito chateado por não receber resposta rápida ao seu e-mail, eu se calhar sou (fui) uma dessas pessoas, mas não sou mais. O meu melhor amigo mostrou-me que me bate em tudo, na organização e na velocidade com que me debita coisas no inbox que não tenho capacidade de gerir.
A determinada altura sinto que é ele que comanda a minha vida e chego a temer o momento em que o abro, se vai ficar recheado de rosas ou se me atira com ovos podres mal começo a trabalhar.
Amanhã começa uma nova semana, que venham as rosas ou os ovos podres, não consigo viver sem ele, mas passo o dia a tentar acabar com ele. É uma luta. É uma escravidão.

Follow my blog with Bloglovin

2 comentários

  1. Lendo bem este teu post... isto é tão verdade mas tão verdade. Por vezes já fico ansiosa antes mesmo de abrir o email. E isto de termos acesso ao email em todo o lado é mesmo um vício que não nos deixa desligar quando é preciso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O maior problema é a nossa cabeça, que por vezes parece que pára de comandar as coisas, ficamos autómatos nas actividades normais do dia-a-dia. Isto do e-mail parece um bicho que vai connosco para todo o lado, não é? bjs Filipa:)

      Eliminar