found it

25.10.14

25.10.14
#foundit Há anos (muitos!) que não pratico desporto. Se numa altura da minha vida o movimento fazia parte do dia a dia, pela sua agitação e por actividades que requeriam mais destreza física, agora tudo indica para o sedentarismo.
Eu tenho uma total ausência de força de vontade de fazer o que quer que seja relacionado com desporto, caminhar, correr, ginásios, etc. Para mim mexer-me nunca foi um desporto, mas sim um meio para atingir um fim.
Depois da trombose fui aconselhada a caminhadas diárias de 30 minutos, ou a praticar uma actividade leve mas continuada. E eu sei que tenho de o fazer, sei mesmo, às vezes caminho, outras vezes tento fazer amizade com a bicicleta elíptica que tenho em casa, mas nenhuma delas me agarra. Estou constantemente a pensar quando é que aquilo acaba. Já chega? E a minha cabeça viaja para todas as coisas que quero fazer quando sair dali.
E não, não sou daqueles seres abençoados pela genética com tudo no sítio sem nada fazer. Por aqui, depois de duas gravidezes e zero desporto, as coisas já não são as mesmas, três kg acima do que era normal antes de ser mãe, mas que de alguma forma já me habituei e confesso que não ligo muito a isso, devia ligar, mas não ligo. A massa muscular já desapareceu há muito e a flexibilidade foi pelo mesmo caminho. A postura anda pelas ruas da amargura e os abdominais há muito que não dão o ar da sua graça.
Mas eu tento, a trombose criou em mim um aviso permanente que eu não consigo ignorar. Já fui a ginásios, tentei aulas em conjunto, procurei grupos de tudo e mais alguma coisa. Raramente passo da primeira experiência, porque sei imediatamente quando uma coisa não é para mim, não me iludo muito. Tenho ainda muitas restrições de horário familiar que me impedem de fazer parte da maioria das aulas e que também servem como desculpa mental para mim própria por não conseguir.

Mas ontem encontrei. O sítio. A actividade. A vontade.
Um grupo de Yoga aqui bem perto de casa, no sítio mais bonito que podia estar, com um ambiente descontraído, mas muito profissional e dedicado. E vou ficar. E vou tentar com toda as minhas energias e dedicação levar as aulas de forma contínua e séria. Começo com uma aula semanal, mas quero fazer pelo menos duas. Quero que o meu corpo sinta, a minha cabeça desligue, a minha postura volte e eu encontre em mim a energia e a vontade de cuidar de um corpo que é só meu e que só eu posso estimar.

A fazer figas!

9 comentários

  1. Não desistas Silvia, uma atividade é fundamental para ti. Quem te fala é alguém que já beira os 50, faz desporto desde sempre, e garanto-te, muitas vezes, foi a salvação para o meu equilíbrio mental. Costumo dizer que o desporto que faço faz bem melhor à minha cabeça que ao meu corpo. Se arranjaste esse grupo e se te agrada, não arranjes desculpas familiares. Quando tinha os 3 filhos pequenos, só ia para o ginásio depois de deixar tudo arranjado em casa, ou seja acabava por fazer aulas que começavam às 8h30 da noite, voltava para casa nunca antes das 10. Era chato, cansativo, mas era o jeito! beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu bem gostava de ser assim Val. Mas não tenho tido grande sucesso. A ver se é desta:)

      Eliminar
  2. Força Sílvia!
    O importante é obrigares-te a sair de casa com essa intenção. Depois já não há desculpas para te fazer voltar para trás. ;)

    ResponderEliminar
  3. Sílvia, este texto podia ter sido escrito por mim... menos a parte final, com muita pena minha... eu ainda não encontrei!
    Desejo-te sorte nessa experiência, que seja mesmo bom e que passe a fazer parte da tua vida e de ti.
    Por aqui resta-me esperar que um dia também eu encontre...
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois acredito, tirando a parte que já tiveste o dobro dos filhos que eu tive e continuas com bom ar:D eu invento milhares de desculpas para o meu falhanço, a verdade é que ninguém a não ser eu própria tem culpa que eu não me cuide. E, por motivos muito sérios, tenho mesmo de mudar. Espero que também consigas, se estivesses por estes lados vinhas comigo, tenho a certeza que ias adorar!

      Eliminar
  4. Conheço esse sentimento. O yoga ja fez parte da minha vida e quando nos sentimos bem à 1a, dificilmente saimos de lá. É maravilhoso.
    Desejo que encontres no yoga aquilo que ele transmite. O teu corpo e a tua mente iram agradecer. ;)

    ResponderEliminar
  5. O importa é encontrarmos algo que faça sentido para nós e nos deixe felizes :) estás no bom caminho, força **

    ResponderEliminar
  6. Olá :) Acho que o yoga é um tipo de exercício que combina muito bem com os criativos, pois integra corpo e mente, e a mente é algo que em personalidades como a tua, está sempre a "se mover". E com esse cenário à tua volta, melhor ainda, fica mais holístico ainda! Boa sorte!
    Bjs

    ResponderEliminar