do tempo perdido

9.12.14

9.12.14
#favouriteplace No outro dia li a Mariana a pensar o mesmo que eu: sobre o tempo perdido com o computador, as redes sociais, a web no geral.

Cada vez mais vejo bloggers de quem gostava a parar. Alguns a abandonar os blogs, outros a reduzir a comunicação. Pessoas a deixar o FB. Muita gente a ir para o instagram e a deixar o resto.

Para quem trabalha na web como eu, que vive e tem trabalho graças a estas linhas que nos ligam, é um pouco hipócrita dizer que não quero navegar na web. Sim é, eu sei.
Mas dou por mim a bufar ao mesmo tempo que faço scroll: natal, wishlists, giveaways, moda, beleza, notícias não tão importantes, fotografias bonitas, casas bonitas, eventos, festas, sítios, lojas, workshops, toda a gente tem algo a divulgar, toda a gente tem algo para vender.
Eu também.
Mas quando vou a dizer algo sinto o meu cérebro em 'pause'. E hesito.
No outro dia falava com uma amiga sobre as estatísticas deste blog: os posts com mais de 3 parágrafos de texto são os menos lidos. Os posts com fotos minhas são os mais lidos.

Depois observo alguns fenómenos nas redes sociais, um conjunto de pessoas com muitos seguidores que se limitam a debitar info e fotos, não interagem com ninguém a não ser nos seus próprios posts, fazem um discurso unilateral. Trabalham a sua marca pessoal e pronto.
Não critico, por vezes até acho inteligente. E se calhar menos cansativo. Mas ainda assim algo egoísta.

Se desligar o Facebook e me mantiver apenas pelos blogs, o tempo de leitura é menor. Leio o que me interessa em meia hora e está feito. O instagram uso mais quando estou na rua. O que me consome efectivamente tempo é o scroll cego do facebook. Aquele em que estamos ali a puxar a página para baixo e a pensar 'o que é isto'? Mas ainda assim a fazer scroll. E passado mais algum tempo lá volto ao scroll. É como ver telenovelas. Ninguém gosta, mas toda a gente vê.

Isto é um desabafo. Porque neste novo ano vou ter de organizar melhor a minha comunicação. Divulgar o que é preciso, ver uma vez o feed e sair. Desligar o Facebook. Ficar-me aqui pelos blogs e pelo instagram. Tenho a certeza que vou ganhar muito tempo com isso. Tempo de trabalho e tempo pessoal. Tempo para deixar alguns comentários aqui e ali e espaço para me surpreender com o conteúdo dos outros.
Reduzir o número de imagens e informação que me passa pelos olhos. Fazer o meu trabalho mais concentrada. Sentir que os dias rendem mais. Desligar ao final do dia.

E pronto, gostava de ouvir a vossa opinião sobre isso, como fazem a vossa gestão do feed do FB, como comunicam com os outros, que tipo de comunicação é que gostam de ver e ler? O que vos interessa efectivamente nas redes sociais?




37 comentários

  1. Criei o fb quando vim para NY viver para simplesmente conseguir manter mais contacto com os amigos, mas se há alguém que não tem mesmo paciência para aquilo sou eu. Mas tem permitido a descoberta de excelentes lojas/produtos Portugueses. A minha colega de trabalho passa horas a fio a fazer scroll e a ler tudo e a comentar tudo e eu não consigo compreender o porquê. A minha cruz é mais o instagram, mas fotografia é algo de que gosto mesmo muito por isso faz-me muito mais sentido. Mas chega a um altura em que realmente cansa, cansa muito. E cansam muito este blogs serem todos mais do mesmo, cópias uns dos outros. Ás vezes sabe bem desligar, mas depois parece que perdemos um mundo de novidades. haha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, também tenho a sensação que quando desligo por muito tempo, estou cada vez mais 'fora' do que se está a passar na web. E sim, o FB permite-me conhecer coisas interessantes, mas é tão pouco, vejo tão pouco do que me interessa. Claramente tenho de organizar e limpar o feed. Sobre os blogs acho que quem não entra na corrida dos vários posts por dia e usa conteúdo e palavras próprias raramente sofre desse mal. Obrigada pelo teu comentário, também gosto de visitar o teu blog:)

      Eliminar
  2. Não tenho Facebook, não vejo novelas há mais de 20 anos e venho todos os dias ao teu blogue para te “ver” e “ouvir”:-)
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ena! Obrigada! É nestes momentos que me arrependo de não escrever mais por aqui. Às vezes tenho coisas para publicar e vou deixando para lá...nem sei bem porquê. bjs:)

      Eliminar
  3. Olá Sílvia, por vezes sinto-me bombardiada por imagens. E penso sobre o tempo que passo na net. No entanto não me parece que deixe de fazer alguma coisa da minha vida "real" para estar na net. Haja visto as horas que dedico ao desporto, que é ao ar livre, e que a família acompanha. Não me pronuncio sobre o FB porque nunca tive lá perfil. Quando há algum produto que me interesse e que só está no Face, peço o perfil do filho emprestado. Portanto não sei mesmo o que é perder tempo em FB. No IG sou seletiva. Não sigo perfis pessoais, para saber o que determinada pessoa almoçou ou jantou. Sigo sobretudo perfis ligados à fotografia e decoração que é o que gosto. O mesmo nos blogs. E comento, comento quando acho que merece, se não gosto ou não tenho nada relevante para dizer, o melhor é continuar calada. Gosto sobretudo de blogs em que o conteúdo é todo produzido por quem escreve. Acho mais interessante, maisautêntico. Mas por vezes cansa, claro que cansa, tudo cansa! beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só facto de não teres perfil no FB Val, diz tudo:D Nunca senti que os blogs me faziam perder tempo. Mas com o FB sinto:(

      Eliminar
  4. O fb para mim é uma janela para o que se passa no mundo. Através dele contacto com amigos que se encontram longe e vou lendo e vendo aquilo que gosto. Costumo fazer srcoll e fazer alguns comentários, pois assim como gosto de ver e ler aquilo que voçês publicam, penso que também será bom ter algum feedback. Cansa? Por vezes, mas aí mudamos de temática ou abrandamos um pouco o ritmo e reinventamos. Espero que por aqui continues, pois gosto de cá vir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Lígia, o teu feedback é sempre muito apreciado, há muito que te recebo por aqui e vou continuar a fazê-lo. A tua simpatia sente-se aqui deste lado:)

      Eliminar
  5. Sílvia,
    Engraçado ler-te. Das coisas que mais tenho pensado é em deixar de ter o facebook para o meu blog....mas volto sempre atrás no pensamento.
    Sinto-o como se fosse um fast-food da informação, se me faço entender....e cansativo, muito cansativo.
    Mas sou fã do IG. Gosto da liberdade do "agora sigo, agora não sigo porque já não me apetece". E de não "ter que levar" com os desabafos (regra geral pelo menos, as legendas são curtas, como devem ser, penso eu.).
    O que mais gosto é dos blogs mas também acho que muitas vezes caímos (todos) num mais do mesmo. Mas desde que seja momentâneo e a nossa essência se mantenha, acho normal...
    O meu bisavô dizia " a água destilada faz mal à saúde" eu eu acho que é mesmo isso, não podemos querer ser sempre perfeitos, nem sempre brancos ou pretos. Há tanta coisa boa pelo meio ;)
    bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro Patrícia, não tenho pretensões de ler conteúdos originais uns atrás dos outros, para mim basta que sejam pessoais e genuínos, só isso. Há pessoas que adoro seguir e que nem sempre vejo, assim como sei que eu própria nem sempre sou lida por quem me segue. E eu repito-me, ai se repito:D Essa coisa das páginas dos blogs é um dilema para mim. Mas já percebi que quem trabalha bem essas páginas são as pessoas que apenas usam essas, ou seja não interagem como utilizadores pessoas, apenas como profissionais. Dão mais visibilidade ao seu projecto e não vêm tanta coisa. Para mim não dá, até porque faço gestão de mais do que uma página. Mas até acho uma boa abordagem.

      Eliminar
  6. Tirei o FB do telemóvel e isso teve um impacto enorme no meu dia-a-dia. Sentia-me intoxicada por aquilo e estava mesmo. Quando não estou a trabalhar, passo dias sem ir ao FB. Percebi que vou lá por desfastio, embora o facebook seja das coisas mais enfastiantes que há. Não tenho instagram, nem sinto falta, porque não sou uma pessoa muito visual, sou mais da escrita pura e dura. Procuro que o meu tempo passado na internet seja intencional e não para espairecer - comprometi-me com isso, tem sido um processo de reeducação às vezes difícil, porque o apelo da net é intensivo e tenho ainda momentos de tédio, de dificuldade em me concentrar que me fazem voar para a net e para o feed lunático do facebook.
    Adoro blogs, sobretudo aqueles que falam de vidas diferentes da minha, das vidas das pessoas normais que fazem e pensam coisas interessantes. E também adoro ler reportagens e histórias noticiosas - as chamadas long reads, que agora começam a estar na moda. Além disso, a net trouxe-me muitas possibilidades de exercer o meu talento e sou continuamente surpreendida com as possibilidades de comunicação, de criação de coisas, de criação de redes e parcerias, de reencontros e novas amizades que a net me traz. Por isso, apesar de estar em desintoxicação de facebook, estou longe de o odiar - foi uma grande ajuda na divulgação dos meus projectos e continua a ser. Trouxe-me de volta amigos de infância, fez-me conhecer pessoas com os mesmos interesses. Mas consegue ser tão chato, tão chato que tenho também que lhe criar uns filtros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu nem vejo nada no tlm. Só o IG. De resto não uso.
      E sim, essas coisas dos filtros é um caminho, mas dá trabalho:D

      Eliminar
    2. "long reads, que agora começam a estar na moda"? É exactamente por causa disto que eu gosto de blogs e do facebook, dão-nos a impressão de estarmos sempre a par das novas tendências.
      Por enquanto, acho que o facebook não ocupa demasiado espaço na minha vida mas nos dias em que estou mais neurótica dou por mim a fazer scroll desenfreadamente, à procura de alguma coisa que me salve. Como se isso fosse possível!
      Gosto muito mais de blogs mas leio poucos, por pura preguiça, acho.
      No meu escrevo sobre o que me apetece e isso pode ser bastante terapêutico mas, às vezes, fico deprimida quando as visualizações de página descem.
      Em suma não sentir qualquer pressão em agradar/vender e usar a parte boa da coisa (obter informação e algum entretenimento) tem resultado comigo.

      Eliminar
  7. Olá,
    Tenho FB, mas sinto a cada dia que passa por por ali pouco ou nada se passa, o que faz com que eu "gaste" cada vez menos tempo a fazer scroll down...
    Gosto de acompanhar alguns bolgs com assuntos variados, mas que por um motivo ou por outro me interessam e faço-o através do bloglovin (é uma forma de não me perder).
    Continuo a gostar de manter o meu blog, onde vou "postando" o que me apetece, não esperando comentários e/ou qualquer tipo de notoriedade (embora tenha dias em me que sinta "desconectada" do mundo.

    Bjs
    Dora

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é este sentimento mútuo, muitas outras pessoas trocam este pensamento comigo. as que trabalham no FB sentem necessidade de criar conteúdo constante, os leitores estão cada vez mais saturados.

      Eliminar
  8. sabes o que é curioso? tinha facebook desde 2007. Acabei com ele em setembro. Mantenho apenas a pág FB do blog. despedi-me de toda a gente e fui embora. mantenho blog e instagram. best decision of my life.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas já tinhas associado a página do blog ao teu perfil pessoal (como administrador?). é possível manter as páginas profissionais eliminando o perfil? ando com muita vontade de fazer o mesmo.

      Eliminar
    2. É preciso sempre uma pág pessoal. O que eu fiz foi acabei com a que tinha e criei uma nova só para administrar a pág facebook do blog. Não serve para mais nada. Nem amigos adicionei. Nada. Uma mera formalidade e só porque o Mark obriga.

      Eliminar
  9. Tal como tu, tenho a sensação nítida de que o FB é uma perda de tempo.
    Nestes anos todos, nunca tive essa sensação com os blogs, e continuo a não ter. O meu melhor amigo continua a ser o RSS feed, a ferramenta perfeita para seleccionar o que quero ler e me mantém a par do que interessa. O resto é tempo perdido.
    Estou constantemente a ponderar apagar a presença do FB, mas hesito e recuo sempre. Preciso sempre de fazer divulgação ao trabalho, e aquilo parece que funciona.
    No entanto dou muitas vezes por mim a pensar que impacto real é que o FB tem na divulgação que consigo fazer das coisas - não consigo avaliar com certeza, mas começo a achar que não tem tanto impacto assim, pelo menos para o meu trabalho especificamente.
    Pessoalmente, não sigo nenhuma pessoa ou marca de que goste através do FB, exactamente porque sei que há uma manipulação da informação que vejo (e não vejo), e não consigo admitir isso. Por outro lado, gosto de ver os blogs de cada um, bonitos e personalizados que tanto têm a ver com a forma como cada um comunica (seja pessoa ou marca), e a uniformização do FB rouba-me isso tudo. Nunca sigo nada ou ninguém que só comunique pelo FB, porque não gosto de ser obrigada a olhar para um interface feio e igual para todos!

    Apagar ou não apagar, eis a questão. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o teu blog e as tuas palavras e imagens é um dos que me faz falta:) vi que eliminaste uma série de coisas a determinada altura da tua vida. mudaste a direcção e mudaste o registo, todo. admirei isso:)

      Eliminar
  10. Olá :)

    Como a Dora, eu tirei o FB do telemóvel - e do tablet, parcialmente. Não recebo notificações no telemóvel, portanto, só mensagens - instalei o FB Messenger porque as mensagens, em nível pessoal, são a única utilidade dessa rede para mim. Já usei muito para divulgar fotos, mas vi que na minha rede de contatos só eu fazia isso. Ou seja, eu usava o FB para estar em contato porque estou longe, mas como escrevi outro dia, nunca me senti tão afastada de todos. Eu não gosto do FB para uso pessoal, não vejo sentido em acompanhar o noticiário da vida de todos, a vida não era assim. É o que é: um noticiário generalista, tudo acaba em "comunicados gerais". Sinto saudades de quando as pessoas escreviam ou telefonavam para dar uma notícia, em vez de usar uma rede social para isso. Nem todos os meus contatos são amigos ou familiares íntimos meus e imagino que, com muita gente, seja assim também, não sinto necessidade de fazer publicidade pormenorizada da minha vida o tempo todo e, recentemente, perdi o interesse na dos outros também. Eu vejo assim, mas isso pode ser devido às pessoas que fazem parte da minha vida. Não vou nem mencionar as brigas, os desentendimento entre pessoas de que gosto, as personalidades obtusas que se revelaram por lá.
    Enfim, hoje o FB é mais para coisas "impessoais", acompanhar feeds e consultar páginas de serviço, lazer, ler sobre tradução. Ainda publico lá, lógico, mas muito pouco. Raramente leio o news feed, só quando o tablet faz o login por lá em vez de pela minha página, ou quando sei que algo aconteceu ou está para acontecer - tipo o nascimento do bebé de uma amiga, etc. Se isso me poupou tempo? Sim, mas mais dor de cabeça e decepções do que tempo :)
    Eu gosto do Instagram porque é mais neutro, não sigo muitas pessoas e ignorei os pedidos de contato daquelas que me incomodam no FB. Gosto do Twitter e do LinkedIn por questões profissionais.
    O mais curioso é que o catalisador desse meu afastamento parcial do FB, por exemplo, foi o Pinterest. Há sempre coisas lindas a comprar, desejar, ansiar, estilos de vida a invejar, a nos inspirar, etc, etc. Senti que isso roubava-me tempo, que esse voyeurismo e ansiedade diários de acompanhar, adicionar, estavam a me roubar tempo "real".
    Estamos sempre no futuro ou de olho na vida alheia. Eu senti que não gosto disso, talvez por não ser uma "nativa digital", o meu cérebro não aguenta essa overload de informações.
    Gosto de blogs, mas nem de muitos. Também me cansam os blogues só sobre consumismo, ou os que se expõem além da conta, e acho que os melhores mesmo uma hora se cansam, talvez porque não tenham nada a vender. Não sei.
    Só sei que hoje meu tempo na net tem mais a ver com necessidade, interesses específicos e... tédio. Às vezes conecto porque a TV está nos programas infantis e tenho uma folga, mas logo me entedio, vou ler. Com certeza não vou ao FB para "arejar".
    Desculpe o longo testemunho, mas é um assunto que me fascina e em que penso muito, a internet para mim é ferramenta, mas virou "second life".
    Bjs!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pois, esta parte dos problemas pessoais entre pessoas que se despoletam via web é algo que me tento manter à distância, criando uma postura algo distante. mas vejo coisas que às vezes me deixam estupefacta. O pinterest coloquei-o de parte logo no início porque vi que me ia roubar muito tempo. uso apenas para procurar imagens ao nível profissional, para um projecto ou algo, mas nem o abro normalmente no browser. ufa!
      e sim, toda a gente se cansa, mesmo de fazer o que gosta:)

      Eliminar
  11. Um destes dias desatei a chorar pela manhã e só parei ao fim do dia, quando já com a cabeça fria percebi que tantas páginas bonitas e que só expiram felicidade, sucesso e projetos, tem gente por detrás vestida de pijama tal como eu. O facebook e tudo o que lá despeja a toda a hora, deixa-nos confusos, instáveis, colados de tanta informação alheia que mal conseguimos selecionar, pior do que isto e tal como dizes, rouba-nos tempo para as referências que tínhamos, ainda as mais credíveis e genuínas.
    Depois desse dia, ensinei-me de forma bem mais saudável a usar este belo, mas que se mal gerido, transforma-se em mostro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mesmo Xiomara, isso do ataque de choro é que não vale a pena. nenhuma. mas olha, vivemos tão perto, temos de marcar um café, um almoço, qq coisa para trocarmos cromos ao vivo e a cores:D bjs!

      Eliminar
  12. Venho aqui todos os dias! Facebook só uso para seguir os blogs que gosto, mas é realmente demasiado superficial e torna-se um vício para as horas de tédio (em que o trabalho chateia!! Continua a escrever, Sílvia! Obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Inês, tem sido bom saber de tanta gente que cá vem:)

      Eliminar
  13. Confesso-te que sou viciada na web e nas redes sociais, ainda que muito menos no FB que já me dá galo e ao qual vou cada vez menos durante o dia. Gosto de blogs, mesmo daqueles em que não há interacção absolutamente nenhuma. gosto de pessoas que me inspirem, mesmo que nada tenham para dizer, não estou especialmente interessada em todas as pessoas e no que eventualmente possam ter para dizer, acho que isso me levaria à loucura. Não sou uma pessoa de pessoas, cansam-me e esse é um lado arrogante que sei que possuo mas que me defende de muita coisa na vida. Gosto muito de algumas pessoas, das minhas, para essas todo o tempo é pouco. E isto até pode parecer um paradoxo já que eu própria tenho um blog e gosto de ter feedback de quem me visita, uma vez que esse carinho é recompensador e um input para querer continuar naquele playground que desenhaste para mim, mas é uma interação a espaços, com pessoas queridas que não conheço, mas a espaços e confesso-te: sabe-me bem, são maioritariamente mulheres bastante mais novas do que eu, com perspectivas frescas do mundo e da vida e do belo e do feio que me dão um pouco daquela energia dos 20 anos que me esqueço no dia a dia. são uma outra forma de estar e viver que me alegra presenciar deste lado de cá. há dias, e são muitos, em que a única companhia de que preciso é mesmo a de um bom livro e em que fecho as portas a este mundo vertiginoso do virtual. mas volto sempre. voltarei até deixar de voltar, por que também tenho perfeita noção de que um dia também ele deixará de me fazer falta.

    não percebo como é que os posts que escreves são os que menos são visualizados, há em ti toda uma harmonia e ponderação que se reflecte na escrita e no que tens para dizer e sim, a tua pessoa interessa-me.
    um grande beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu percebo. há aquele lado voyer que todos temos, ver a cara da pessoa, algo da casa ou da roupa atrai muito, principalmente o público feminino. eu tb sou assim, gosto de cuscar:D quando as fotos são muito conceptuais e os textos longos o pessoal passa à frente. gosto muito de te saber por aqui, tb gosto de visitar o teu playground, o teu sorriso é contangiante, há toda uma 'boa onda' no teu blog. bjs

      Eliminar
  14. É engraçado por naturalmente acabamos por nos identificar com as pessoas dos outros blogues, e tu és a pessoa que mais me identifico nesta área e nem sei explicar bem porquê. Eu não posso ser hipócrita e dizer que não utilizo a internet, porque senão não publicaria quase todos os dias, a verdade é que é uma sensação um pouco dúbia, porque se há pontos que adoro, há outros que detesto.
    A minha gestão nas redes sociais mudou um pouco nos últimos tempos, mas também está relacionada o não ter tanto tempo quanto gostaria. Opto cada vez mais por ver filmes e séries quando tenho uma hora vaga, e sinto-me muito bem assim. Além disso opto por estar com as pessoas de quem gosto nas horas vagas. Quando estou sozinha e tenho um tempo extra, opto por escrever no blogue, isto porque é o que realmente me dá prazer. Infelizmente não há grande tempo de momento para visitar os outros blogues e isso é a única coisa que ás vezes me dá pena, porque há locais que realmente gosto de visitar. Porém a minha vida real fala mais alto. Facebook nunca dei grande importância e passam meses que não vejo o feed, simplesmente o ligo 5minutos por dia, e muito por gostar de actualizar o fb do blogue. O meu cantinho continua a dar-me um enorme prazer, por isso irei continuar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sabes que eu começo a achar que as publicações/blogs de pessoas que, como tu dizes, não têm tanto tempo para se dedicar, acabam por ser os melhores, aqueles em que se percebe que o blog é o ponto de fuga, o escape, às milhares de outras coisas que acontecem na vida das pessoas, são blogs mais autênticos e interessantes do que aqueles em que as pessoas têm de andar a inventar conteúdo para manter as páginas actualizadas. ainda estou algo espantada com o feedback deste posts. e estou contente. mais do que estatísticas, ler toda a esta gente que passa por aqui e tem uma opinião deixa-me muito feliz. obrigada. tb sou visitante assídua do teu, se bem que silenciosa:D

      Eliminar
  15. Cá está! Tenho pensado tanto sobre todas estas questões... Eu, que aderi muito tardiamente ao FB, estou muito cansada... achava que seria apenas uma janela para o blog, e foi, mas por arrasto fui perdendo tempo, e todo junto já é muito, que poderia ter rentabilizado nas minhas pequenas coisas...é uma ilusão pensar que se fica mais perto de quem está longe, e que se fica mais informado... nada disso...por essa altura o blog começou a ficar sem comentários...e, por falta de tempo nem o tenho atualizado. Por estes dias vou mesmo desligar do FB, vou voltar a trabalhar, o que me for possível, para o blog. Sinto falta dele, mesmo sem comentários. Funciona como um arquivo de pequenas ideias. Sinto falta de muitos blogs, também, daqueles que deixaram de existir... que gostava de ver, ler alguns comentários e, por vezes, deixar a minha opinião. Este, por vários motivos, continua a ser aquele onde volto sempre!!! São as imagens, o texto, os gostos! Espero que se mantenha, por muito tempo!
    Um abraço,

    Cláudia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A proximidade entre as pessoas é uma das grandes ilusões do FB. Eu acho que em certos casos até me aconteceu distanciar-me de algumas pessoas por aquilo que diziam no FB, sendo que de outra forma não o teria feito. Fico feliz por voltares aqui, que gostes de me ler e ver. Eu planeio continuar:D

      Eliminar
  16. Olá Sílvia!
    O FB vem dos tempos de Angola. Uma maneira de estar ligada cá. Agora, com isto de andar sempre a mudar de cidade e a deixar gentes noutros continentes, vou ficando. É um lugar onde às vezes digo aquelas frases que só fazem sentido para mim naquele instante e não fazem sentido para mais ninguém porque sim. Serve para alguma coisa? Muito pouco. Mas há gente que está longe e é por lá que vou vendo o mundo pelos olhos de outras pessoas. Ou há gente que está perto mas também descobre e vê coisas interessantes e é ali que eu vou vendo esses mundos.
    O problema é que a minha relação com o blogue não está fácil. Estou cá, não há grandes novidades para contar nem para mostrar e por isso aquilo também se vai esvaziando um bocadinho. Ando com um bloqueio qualquer no blog. Mas tenho saudades de escrever lá regularmente, confesso.
    Beijos! Sandra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu és um caso, de uma pessoa, que usa o blog e mesmo o FB, de forma muito pessoal. Dizes sempre algo teu. Eu gosto disso. No blog acho que é normal, todos passamos por essas fases, eu sei que passo, deixo passar alguns dias e dps surge sempre qq coisa que me faz voltar a querer escrever. bjs:)

      Eliminar
  17. Uso o FB cada vez menos. Espreito 2/3 vezes por semana, só para saber se há novidades de amigos que estão longe, e já é muito. Gosto mais de blogues, de ler histórias. Não uso instagram. Uso Pinterest para guardar coisas que me interessam - não com intenção explícita de as partilhar com o mundo ou de ter seguidores ou o que o valha. Os blogues estão em declínio, sim, mas continuam a valer a pena.

    ResponderEliminar
  18. Eu assumo que sou viciada nas redes sociais. O facebook é a rede onde perco mais tempo, de todo. Gosto de actualizar com uma fotografia de manhã e fazer referência aos posts que publico. O instagram é, sem dúvida, a rede que mais frequento, é uma inspiração imensa, adoro mesmo, quando não tenho muito tempo vou directamente aquele perfil que adoro só para ver se há alguma fotografia, quando vou para a cama é sempre visita obrigatória. No entanto, a rede social que me "tira" mais tempo é mesmo o blogue, gosto muito de postar, mas também adoro ver os blogues, é claro que quando não tenho tempo há muitos blogues que opto por não ver. Apesar de praticamente todos os dias estar "em cima" dos acontecimentos, sabe-me muito bem desligar..e quando vou de fim de semana para fora custa-me sempre regressar a todo este mundo que nos enche de informação.

    ResponderEliminar