women I admire don´t wear heels*

3.10.13

3.10.13
(* women I admire don´t wear heels é o nome do board do pinterest de La Casita de Wendy, todas as fotografias fazem parte desse board) 

Aos 35 anos ainda não faço muitas coisas que achei que iria fazer, uma delas é usar saltos altos.
Não sei.
Não me sinto bem.
Uso pontualmente sandálias altas no Verão, mas o que é alto para mim não é quase nada para qualquer mulher.
Quando me encontro no meio de mulheres da minha idade, em mega saltos, carteiras de pele, caras e cabelos arranjados, fico a pensar onde andei todos estes anos que ainda não me sei 'apresentar' para a minha idade. Sim, porque quer queiramos quer não, é este pensamento que nos ocorre. Por mais livres e conscientes do nosso estilo que sejamos, e eu sou, há momentos em que a única sensação que nos percorre é o desconforto de ser diferente. E se me perguntarem o que eu escolheria neste momento, eu escolhia ser como sou, mas poder calçar saltos sempre que me apetecesse e parecer que estou de sapatilhas. Não é possível pois não? Não.

Depois há este mundo louco da blogosfera e das redes sociais, em que toda a gente tem e parece e vende. Em que todos os dias entram no nosso ecrã milhares de mulheres de todo o mundo, com posts sobre o que compraram, o que comeram, onde foram, o batôn e a blusa, o cabelo e o rímel, os sapatos sempre novos e prontos para fazer a maratona na cidade, posts a que todos têm direito, claro que sim, vidas que existem de uma forma ou de outra, mas que por vezes parecem camiões a passar em cima dos olhos de quem lê. E nós só vemos e lemos o que queremos, certo também, mas é como estar no meio de uma festa de luzes e carrosséis e fazer de conta que não se ouve o barulho. Impossível.

Bem, tudo isto para dizer que hoje me cruzo com este quadro do pinterest da 'Casita de Wendy' uma marca, escola e blog que vou admirando à distância, pelo estilo que imprimem em tudo o que fazem e pela mensagem que passam. E fundamentalismos à parte, que não é essa a minha intenção, fiquei algo reconfortada ao olhar para este board do pinterest e ver tantas caras que também eu admiro.
E isto não é apenas sobre os saltos altos, nem sobre qualquer acessório de moda, mas sim sobre o impacto das imagens, da nossa imagem na nossa vida. Sobre quem somos e o que parecemos. Sobre as dificuldades de se manter uma individualidade, de não ter de mostrar para ser. De ser sem parecer.

7 comentários

  1. Muito Obrigada Silvia pelo teu post :li aquilo que sinto e nao tinha ainda sabido expressar

    Carla Mendes

    ResponderEliminar
  2. Sílvia revejo-me muito nestas palavras. Mas com uma diferença... não me sinto diferente por não usar saltos ou não andar toda embonecada. Aliás, os blogs de moda causam-me um certo enfado...

    É bom saber que não sou a única a preferir o conforto e um estilo mais descontraído à tortura de andar de saltos e todos os dias perder resmas de tempo com maquilhagem...

    ResponderEliminar
  3. De vez em quando essas questões também me ocorrem apesar de não sentir essa pressão nas pessoas que me rodeiam. Mas em certas ocasiões profissionais por exemplo, parece que não somos levadas muito a sério por nos vestirmos de uma forma tão descontraída. Há pouco tempo decidi não me preocupar muito com isso e assumir que sou assim, ou seja, em vez de tentar comprar coisas mais aprumadinhas que depois não uso vou passar a investir em boas peças que melhor reflitam a minha personalidade e filosofia de vida.

    ResponderEliminar
  4. Eu não uso saltos porque estou sempre a entortar os pés e nem roupa pipi ou maquilhagem por opção e porque a minha vida não o exige e acho que "o desconforto se ser diferente" já aconteceu a todas, ou quase todas as mulheres uma vez ou outra. São escolhas que se fazem e que fazem de nós quem e como somos... Até aposto que muitas "mulheres de saltos" já sentiram inveja desse ar descontraído e confortável que falas. Até porque mesmo sem saltos e maquilhagem não precisas parecer a "maria cebola" de chinelo de borracha no pé, se me entendes. :)

    ResponderEliminar
  5. Lembrei-me desta... "uma mulher não se mede em saltos(altos)". Olha que dava um bom nome para um blog!!! :)

    ResponderEliminar
  6. Gosto de olhar para saltos altos, mas acho que são praticamente isso: sapatos para olharmos para eles. Ou então, para estamos paradas. São mais rígidos, enjaulam os pés, não podemos andar com liberdade com eles, muito menos correr. E eu, que tenho uma criança, não concebo não poder correr atrás dela. Tenho botas com algum salto, mas são saltos largos e robustos - e mesmo assim, uso-as tão pouco...
    Eu conheço essa pressão para vestir e calçar mais de acordo com a idade, mas felizmente tenho uma profissão onde podemos calçar sapatilhas todos os dias. E é possível andar bem arranjada de sapatilhas, porque o andar aranjada depende de imensos factores, a começar naquilo que é endógeno: pele, cabelo, sobrancelhas, dentes, unhas. Sem essa parte bem tratada e saudável, não há roupa nem saltos altos que nos valham!

    ResponderEliminar