a acontecer por aqui

7.2.12

7.2.12
a acontecer por aqui
 
nestas últimas semanas tenho andado com a cabeça, as mãos e o coração agarrados a um novo projecto. uma ideia que está a dar os primeiros passos e que vai ser, na minha opinião, muito interessante, não só para mim, que farei parte da sua construção, mas também para muitas pessoas que por aqui passam. está quase, quase pronta e a data de lançamento é já esta próxima segunda-feira. por isso, mantenham-se atentos, que vêm aí boas coisas:)

entretanto dou por mim a olhar para este blog, para os anos que já tem e para as coisas que se têm vindo a construir por aqui. a pensar de onde venho e para onde vou e no que ando aqui a fazer. e tenho chegado a algumas conclusões, que apesar de algo óbvias, só agora começam a ser claras na minha cabeça.
depois de passar muitos anos da minha vida a trabalhar para pagar as contas, e a sonhar acordada com as coisas que eu achava que gostaria de fazer, de experimentar o prazer de pisar o palco do teatro e de criar emoções de forma gratuita e apaixonada, de construir um negócio e de perceber que o caminho não ia seguir por ali, começo a tentar perceber como estas sensações nascem e morrem dentro de mim.
aquela ideia de que a nossa felicidade e o que realmente nos daria puro prazer está sempre atrás daquele muro gigante através do qual não vemos nada, é uma pura ilusão. quantas pessoas passam a vida a dizer 'ah se eu ganhasse o euro milhões, fazia e acontecia...'! é, esse é o muro, o muro que construímos e depois do qual colocamos a nossa imagem de felicidade.
sabem o que eu mais gosto depois de todas estas coisas que tenho vindo a fazer? é deste blog. verdade. é isso mesmo. gosto das fotografias parvas que tiro por aí, dos posts vazios em que me limito a partilhar uma música ou uma imagem, das pessoas que por aqui passam, dos sonhos e projectos que já aqui partilhei. eu gosto mesmo é do blog. criei-o sem qualquer objectivo, já o abandonei, dei-lhe funções que não lhe competiam, pensei em torná-lo mecânico e temático, mas nunca o fiz, sempre foi uma parte de mim, uma continuidade dos meus pensamentos e ideias. uma pequena parte de mim, é certo, que eu não sou feita de imagens bonitas e canções sonantes, não, não sou, nem a minha vida é assim bonitinha como um blog, não é, mas é a parte dela que eu gosto de escancarar.

isto tudo para dizer o quê? para dizer que sei que ultimamente tenho falado aqui de muitos projectos ('choose your own head', 'it's a doily world' e agora este que não digo o nome) e que isto pode levar a que muitos de vocês pensem que ando a divagar sem destino. mas não é verdade. a verdade é que percebi o que me dá realmente gozo. e é o caminho. o caminho de fazer coisas de que gosto. de concretizar ideias que crescem dentro de mim. de fazer as coisas acontecerem. isso faz-me verdadeiramente feliz. e eu sei que, com a minha cabeça, as mãos, o computador e a máquina fotográfica posso fazer mil coisas de que gosto. e por isso, decidi fazê-las. não ficar a pensar, a imaginar coisas atrás de muros. pegar nos meus recursos e pôr tudo cá para fora. por isso não se admirem se este tipo de posts continuar a aparecer por aqui. e querem saber de uma coisa? atrás do muro não há nada, está tudo aqui e agora!

11 comentários

  1. Tão verdade, essa do caminho e das possibilidades. Depois de muita procura, ajudaram-me a descobrir que o meu caminho também seria começar um projecto de raiz. Espero que me divirta tanto como tu pareces que tens vindo a divertir-te. ;)

    ResponderEliminar
  2. e eu acrescentaria no fim: "tenho dito!" ;-)

    ResponderEliminar
  3. Agora fiquei curiosa :)
    Obrigada pelas palavras, identifico-me tanto com elas... devemos passar mais tempo a saborear o percurso em vez de a sonhar com o objectivo final - que afinal de contas pode bem nunca vir a acontecer ou a sofrer tantas alterações pelo caminho... esse muro somos tantas vezes nós que o criamos, sem sequer nos apercebermos que, se olharmos com atenção, até é invisível - ou pelo menos feito de esferovite ;)
    Boa sorte com os novos projectos!

    ResponderEliminar
  4. espetacular, sílvia. é mesmo isso. eu, que sou uma ansiosa crónica com a noção de que quero seguir outro caminho, sei que o caminho é mesmo esse. tem de ser mesmo esse. adorei o texto. estou ansiosa por conhecer o novo projeto!

    ResponderEliminar
  5. eu admiro-te a coragem! juro! e fico curiosa por 2ª feira!
    Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  6. Novamente me identifico inteiramente com as suas palavras, pensamentos e mesmos sentimentos. O caminho é sempre para a frente, o importante é percorrêlo da forma que mais nos preenche e faz sentido...

    ResponderEliminar
  7. boa sílvia! gosto desta energia, é contagiante!
    beijinhos e fico a aguardar por segunda...

    ResponderEliminar
  8. Aguardo ansiosamente por segunda. Compreendo-te bem , eu própria estou numa fase em que tento perceber o que posso levar adiante das mil e uma coisas que me passam pela cabeça...mas alguma coisa há-de sair e hei-de concretizar como aliás já fiz quando abri o meu site. Trabalhei muito offline, ainda hoje me pedem coisas mesmo que para já o meu projecto esteja em stand dy e já o tenha sentido mais meu, mais eu....
    Desejo-te uma excelente nova etapa e cá estarei para seguir-te e ajudar a divulgar também (como já fiz anteriormente :)) beijinhoss

    ResponderEliminar
  9. Fantástico!
    Força e continua, pois o caminho é mesmo esse.
    Eu ando à procura do meu, ou será mais econtrar a coragem para dar o pontapé de saída?! Não sei bem... mas irei descobrir.
    Quanto a ti muitas muitas felicidades,
    beijinho
    Conchita

    ResponderEliminar
  10. ai o que me identifiquei com as tuas palavras, e o que me ri com o vídeo! adorei! confesso que no início pensei "epah 12min? naaa, acho que dispenso!" mas depois pensei que se é para falar de sucesso e felicidade, se calhar estou a precisar de ouvir! já falámos uma vez sobre isto, sobre fazer planos e seguir o nosso caminho à procura do que nos faz feliz. e acho que pela minha experiência, dependendo das pessoas que te rodeiam, muitas não vão compreender o que queres fazer. aliás acho que haver alguém que quebra o caminho convencional para fazer algo que lhe vai trazer felicidade é uma afronta para algumas pessoas. é como diz o ditado, a felicidade não é um fim, mas a viagem em si e é isso que tb sinto. espero que este caminho que estou a percorrer d~e bons frutos, mas se não der, independentemente da frustração que vou sentir, vou lembrar esta fase da minha vida com imenso prazer. porque os meus dias agora são tão mais felizes e preenchidos... um grande beijinho e obrigada por tamanha inspiração!

    ResponderEliminar